Não deixe de conferir:

12ª Mostra Cultural A Ordem do Caos - Programação

Pra quem estava ansioso, este ano a tradicional Mostra Cultural do grupo A Ordem do Caos ocorre no mês de agosto! Com atrações totalm...

07/07/2016

11ª Mostra Cultural | Resumo do primeiro domingo de apresentações

Por Larissa Costa



As primeiras apresentações da 11ª Mostra Cultural AODC ocorreram domingo, 3 de julho. Se você não foi ou quer saber mais sobre o que rolou, é só conferir abaixo:

Abrindo a tarde, foi apresentada a peça de conclusão da oficina Sonho de uma Noite de Verão, dirigida por Pâmela Gomes (em sua estreia como dourada- membro oficial da AODC). Segundo ela, havia um medo no início de o público não dar risadas, afinal é uma comédia e o público seria como um termômetro. “Pelo que percebi começamos ‘morno’, mas depois que você recebe essa energia [dos risos], ai é hora de brincar, de ser feliz, e deu tudo certo”, conta a monitora.


Raone Turco interpretou Oberon - o Rei dos Elfos e, para ele, valeu a pena. “Foi uma experiência diferente. Acho que foi algo que nós construímos passo a passo durante todo esse semestre de trabalho, para chegar até aqui e entregar o melhor que a gente pôde. Eu, particularmente, considerei muito satisfatório escutar o público rindo das nossas palhaçadas, então foi gratificante”, afirma o estudante.

Senna Kozuma, que encarou a personagem Puck - um elfo que adora pregar peças e fazer travessuras na floresta, também falou sobre sua experiência no palco. “Por ser um clássico, eu fiquei preocupada porque muitos podiam já conhecer a história, só que ninguém sabia como a gente iria fazê-la. E vendo o pessoal dando risadas, eu acredito que a gente fez o trabalho da melhor forma possível”.

A espectadora Jéssica, que já fez parte da oficina AODC há alguns anos, veio ao Centro Cultural Jabaquara desta vez para prestigiar seus amigos. Na época em que participava da oficina, a duração das aulas era de um ano. Agora, devido as atividades terem se tornado semestrais, ela reconhece a dificuldade e elogia o grupo: “A gente sabe como acontece a preparação, o estudo das falas personagens... Eu achei bem legal, interessante. O pessoal deixou a peça bem divertida. Por serem seis meses, acho que eles mandaram ver!”, relata. 

Em seguida houve uma breve, porém contagiante apresentação de dança. Giuliana Correa Leite, mais conhecida como Diuly, apresentou uma de suas coreografias. Ela é professora há quase quatro anos nas escolas Academia New Ritmu' s e Fama Circo e Pole, ministrando aulas de Danças Urbanas e Dança do Ventre desde o início de 2016. Aos 21 anos, a professora tem pelo menos sete de muita dedicação e aprendizado. 




A penúltima apresentação ficou por conta da Cia Teatral Ligia Loschi, vinda diretamente de Valinhos para apresentar a peça O Advogado de Deus. O espetáculo veio para São Paulo com um novo formato: antes os movimentos remetiam a algo mais coreografado, e desta vez o foco foi manter algo “mais teatral”, como afirma Melissa Souza, integrante do grupo e atriz.
Ligia Loschi, diretora da companhia, explica que o trabalho surgiu de uma conclusão de curso técnico profissionalizante e comenta sobre a equipe: “A gente vê que o elenco está crescendo, então isso é muito bacana”. 







Cena do espetáculo A Insana



Após o intervalo, a ultima peça da noite foi A Insana, também de conclusão da oficina AODC, dirigida por Viviane Miranda, que participa da oficina há três anos. Este ano, ela também tornou-se “dourada”, além de assumir um grupo de estudantes como monitora e dirigir uma peça pela primeira vez. “Foi um trabalho incrível, me envolvi de corpo e alma com cada pessoa, com cada personagem, cada aluno. Para mim, foi mágico”, diz. 




O casal Cecília e Carlos veio também vieram prestigiar as apresentações. Para ela, em “A Insana”, o principal foi o trabalho dos atores. “Achei excepcional. Estão de parabéns pela atuação deles”. Carlos concorda: “Foi perfeito”. 

Silmara Lazzaretti, que interpretou Alice, fala um pouco sobre as dificuldades e a sensação após finalizar este espetáculo: “Foi um trabalho maravilhoso. Nos ensaios a gente trabalhou para pegar muita amizade, porque a peça mexe muito com o emocional. Teve uma interação legal com todo mundo. A cada dia testamos um pouco mais e um pouco mais até chegar ao limite, para saber o quão realista a gente conseguiria trazer isso”. “Foi uma experiência maravilhosa para mim”, finaliza.


Então já sabe, né? No próximo domingo não deixe de comparecer ao Centro Cultural Jabaquara, a partir das 14 horas, para conferir mais apresentações. Lembrando que nesse e nos próximos domingos ocorrerão as inscrições (somente) presenciais para a próxima oficina. Estamos te esperando! :)
Larissa Costa é estudante de jornalismo e estagiária na FAPCOM - Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação. Acredita que foi a profissão que a escolheu e não o inverso. Gosta de observar os detalhes e admirar o que parece ser invisível. O estranho a envolve, o novo a atrai. Ama sorrir e chamar sorrisos. Gosta de ser feliz e transmitir esse sentimento a todos e todas que puder. É uma pequena garota que busca realizar seus gigantescos sonhos.